Senhoras e senhores,

Solicitaram e/ou receberam, uma ou mais vezes, um pacote de ajuda alimentar desde o início do confinamento devido ao coronavírus. Estes produtos alimentares têm sido recolhidos e distribuídos por voluntários : individuos que não recebem qualquer remuneração pelo seu trabalho e que até pagam, por exemplo, pela gasolina necessária para as entregas.

Porque é que muitas associações que não tinham antes aquela finalidade… participaram a final na ajuda alimentar durante o confinamento?

  • Porque nem o Estado nem a Câmara Municipal (que cobram os impostos dos cidadãos e cuja missão é de garantir a segurança de todos) fizeram nada… ou tão pouco !
  • Porque achamos intolerável, num país tão rico como a França e que aliás pretende ser um exemplo em termos de direitos humanos, sabermos que mulheres, homens e crianças passam fome.
  • Porque queremos uma sociedade mais justa, onde cada um de nós possa encontrar o seu lugar e prosperar.

Balanço dos ultimos 2 meses

O número de beneficiários atingiu perto de 5.000 indivíduos, só a partir do site internet e da escola do Volga (aos quais se devem acrescentar as pessoas entregues pela escola Trégain, as associações Secours Populaire, Secours Catholique, Restaurants du Coeur, Cruz Vermelha, associações de bairro, etc.). O Estado nada fez pela ajuda alimentar e a Câmara Municipal simplesmente emprestou os edifícios de 2 escolas às associações para organizar a distribuição.

Porque é que a ajuda alimentar da Escola do Volga parou no dia 5 de Maio?

  • A Câmara Municipal de Rennes retomou as duas escolas que nos tinha emprestado em 6 de Maio.
  • Aproveitamos para pedirmos desculpa àqueles que não puderam ser entregues na semana passada devido ao encerramento das escolas.

Qual é a opinião dos organizadores do site?

O confinamento acabou o dia 11 de maio :

  • Muitos voluntários são obrigados a regressar ao trabalho. Já não têm tempo para recolher alimentos, desinfectá-los, preparar pacotes ou entregá-los: é um trabalho 6 dias por semana, pelo menos 12 horas por dia, para equipas de, pelo menos, 20 pessoas por dia.
  • Consideramos que pertence agora às autoridades assumirem as suas responsabilidades.
  • Continuamos a pensar que, quando for possível, a distribuição ao domicílio é a melhor solução: antes de tudo, por razões sanitárias e mais, porque sair de casa pode ser sinónimo de risco de ser multado ou até mesmo ameaçado de expulsão no caso dos migrantes clandestinos.

Portanto, o registo pelo site internet já não é disponível, porque não conseguimos satisfazer os pedidos da forma que nos parece mais adequada (desinfecção de todos os alimentos e entregas ao domicílio).

Porque sabemos que a pobreza provocada pela crise não vai acabar amanhã, exigimos que :

  • A Câmara Municipal e o Estado contratem pessoal para substituir os voluntários.
  • A assistência financeira seja prestada imediatamente aos necessitados.
  • As tradicionais associações de distribuição alimentar (Secours Populaire, Restos du Coeur, Cruz Vermelha, Banco Alimentar, etc.) recebam subsídios proporcionais às suas necessidades.
  • Que recebam ajuda a criar centros de distribuição por todos os bairros da cidade.

E préciso advertir as autoridades: por telefone, e-mail…

  • prefeitura (DDCSPP : 02 99 59 89 00 – ddcspp@ille-et-vilaine.gouv.fr)
  • câmara municipal de Rennes (02 23 62 10 10 – ville.rennes@ville-rennes.fr)
  • centro de ação social (CCAS 02 23 62 20 50 – diap@ccasrennes.fr)

E preciso dar a conhecer a realidade:

Convidamo-los a dar a sua opinião, a avisar-nos e a testemunhar sobre a sua experiência no atendedor on-line.

E agora ?

Em concertação com a associação Cœurs Résistants, a Câmara Municipal abriu o ginásio Courrouze dedicado à distribuição alimentar, 6 allée Florence Artaud (autocarro C6).

  • Este centro funcionará como uma loja gratuita.
  • Terá de se por em fila (respetando a distância de segurança).
  • Não será exigida qualquer prova de rendimento.
  • No futuro imediato, todos poderão vir receber ajuda alimentar a partir de segunda-feira, 11 de Maio, às 14h00, e depois todos os dias da semana, das 10h00 às 16h00.

E a seguir ?

Por volta de 24 de Maio, as pessoas atualmente confinadas pelo Estado em hotéis poderiam ser arrastadas para a rua : vamos exigir a requisição de edifícios vazios para lhes garantir um abrigo !

As associações empenham-se em permanecer ao lado dos mais desfavorecidos: continuemos a lutar juntos por mais justiça!

Vários beneficiários da ajuda alimentar têm estado envolvidos na solidariedade: também o pode fazer, não hesite em enviar-nos um e-mail e mantê-lo-emos informado (se não desejar receber mais informações, informe-nos, por favor).

Contacto : contact@rennescovidsolidarite.info

Boa sorte e cuide de si,
o coletivo de associações rennescovidsolidarite.info